Vereador contesta nota encaminhada pela PMJP sobre CPI da Lagoa

0

O vereador Raoni Mendes (PTB) utilizou a tribuna da Câmara Municipal da Capital, nesta quarta-feira (9), para rebater a nota encaminhada pela Prefeitura de João Pessoa contra o pedido de CPI protocolado pelos vereadores na Casa, na última terça-feira, para investigar as obras da Lagoa. Durante sessão ordinária, o parlamentar apresentou os requerimentos que foram derrubados pela bancada de situação na Casa com pedidos de informações sobre a intervenção.

Raoni Mendes reafirmou ainda, que os parlamentares que assinaram o pedido de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar supostas irregularidades nas obras de revitalização da Lagoa do Parque Solon de Lucena, em momento algum desconsideram a necessidade de intervenção no local. O objetivo principal da investigação, de acordo com o parlamentar, é exclusivamente o de esclarecer o desvio de recurso público no valor de quase R$ 10 milhões.

O vereador apresentou cópia de seis requerimentos protocolados na Casa, de junho a dezembro de 2015, que não foram acatados pela maioria dos governistas. Foram pedidos de informações sobre os pagamentos feitos aos aterros sanitários, comprovantes das entradas dos caminhões com as 200 mil toneladas de resíduos supostamente retiradas da Lagoa, detalhamento da logística dos procedimentos e convocação de gestores para prestar esclarecimentos na CMJP.

Raoni Mendes também criticou a prefeitura por ter afirmado que a investigação tem cunho eleitoral. “Várias tentativas foram elaboradas no ano passado e, vejam só: derrubadas pela própria bancada do prefeito. Portanto, quem empurrou esse debate para o ano eleitoral? Foram aqueles que desejam investigação ou foi a própria prefeitura?”, questionou. O pedido de CPI teve como principal base o relatório elaborado pela Controladoria Geral da União (CGU), que tem em anexo, documentos incontestes dos desvios de R$ 5,9 milhões da obra da lagoa e mais R$ 3,5 da construção de um túnel.

A CPI pretende investigar as 200 mil toneladas de lixo retirados do local.  O pedido foi assinado pelos vereadores Raoni Mendes, Flávio Eduardo Fuba (PT), Lucas de Brito (DEM), Renato Martins (PSB), Zezinho Botafogo (PSB), além dos vereadores da base governista Djanilson da Fonseca (PPS), João dos Santos (PR) Felipe Leitão (SD), Chico do Sindicato (PP) e Bruno Farias (PPS).

Assessoria

 

Sobre o autor

Comente