Campina Grande registra três mortes de pessoas que tiveram Chikungunya

0

O Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande confirmou que três pacientes que morreram na unidade foram infectados pelo vírus do chikungunya. A informação foi repassada pela infectologista Priscilla Sá, na manhã desta segunda-feira (14). As vítimas são uma criança de cinco anos, natural de São Sebastião do Umbuzeiro; uma mulher de 51 anos, da cidade de Monteiro, ambas no Cariri do estado; e um homem de 65 anos, da cidade de Santa Cecília no Agreste.

Segundo Priscilla, a suspeita da doença foi detectada logo quando os pacientes foram internados na unidade hospitalar, mas a confirmação só veio depois do resultado oficial dos exames. “Essa situação é extremamente preocupante, porque até agora, em 2016, temos quatro casos confirmados de morte cujas sorologias são positivas para chikungunya”, disse. O estado de Pernambuco confirmou na terça-feira (8) a primeira morte pela doença no país este ano. Em 2015, o Ministério da Saúde registrou três mortes confirmadas pelo vírus.

O resultado dos exames foram divulgados no fim de semana, um mês após a morte dos pacientes. A infectologista explica que a demora no resultado da sorologia se deve ao fato de que o material dos pacientes foi investigado pelo laboratório de referência (Lacen) de Pernambuco. Desde fevereiro que os novos casos suspeitos são investigados pelo Lacen de João Pessoa, ainda de acordo com Priscilla.

“A gente não pode dizer se é uma cepa mais agressiva do vírus, que seja mais invasiva, ou se houve uma mutação dos vírus ou até mesmo se os pacientes tinham algum transtorno imunológico, algo no organismo deles que favoreceu esta evolução tão ruim. É preciso investigar o que pode ter causado essas mortes”, disse Priscilla Sá.

A médica também comenta sobre a diferença no perfil das pessoas que morreram com sorologia positiva para o vírus em Campina Grande no comparativo com os casos confirmados de morte em 2015. “Os óbitos do resto do Brasil foram todos de idosos com mais de 80 anos, que a gente já espera que qualquer doença viral possa agravar a saúde destes pacientes por causa da idade. Nossos pacientes não, eles eram previamente saudáveis e com perfis de idades diferentes”, disse.

A unidade hospitalar também está investigando outros pacientes que apresentaram manifestações neurológicas e stão internadas no hospital. Um dos pacientes teve o diagnóstico confirmado da Síndrome de Guillain-Barré e infecção por chikungunya. Ele está na enfermaria recuperando os movimentos. Outras cinco pessoas estão internadas em estado grave e cada uma com manifestações clínicas diferentes uma das outras. O material biológico dos pacientes está sendo analisado pelo Lacen de João Pessoa.

Fonte: G1 Paraíba

Sobre o autor

Comente