Consumidores desempregados poderão ter cobranças de água suspensas por um período

0

Tendo em vista a atual situação de crise que se instalou no país, o deputado Nabor Wanderley (PMDB) apresentou um indicativo na Assembleia Legislativa para que o governo do estado junto com a Companhia de Água e Esgoto do Estado da Paraíba (CAGEPA) possam suspender a cobrança do consumo de água e esgoto dos consumidores desempregados.

A crise que se instalou no país foi realmente forte, o que acabou fazendo com que muitos trabalhadores perdessem os seus empregos. Caso a solicitação do deputado seja aprovada, os consumidores que estiverem sem emprego há mais de 6 meses, terão a cobrança suspensa por um período noventa dias, renovável uma única vez por igual período, mediante apresentação de rescisão.

O consumidor ainda terá a chance de negociar o débito em aberto, dentro de usa capacidade e possibilidade. O indicativo sugerido por Nabor, não prevê a isenção do pagamento das contas de água encanada e coleta de esgoto, porém, um período de mora e após o período de 6 meses o consumidor poderá negociar seu débito.

“Este período é necessário para que o trabalhador organize suas finanças e as contas não se tornem cumulativas prejudicando ainda mais este trabalhador. Essa não é uma forma de assistencialismo, mas, de dignidade para com as responsabilidades diárias”, afirmou o deputado.

Nabor também apresentou outro indicativo, desta vez para implantação do Programa de Profissionalização e Requalificação para Idosos, podendo oficializar convênios com o SESI, SENAC, SENAI, SEBRAE e Instituições ou Órgãos com atividades voltadas para a formação profissional, por parte da Secretária de Estado do Desenvolvimento Humano.

“Segundo o IBGE, a expectativa de vida dos brasileiros aumentou de 73 para 80 anos e hoje a gente observa muitos idosos voltarem ao trabalho mesmo após a aposentadoria, até porque em algumas situações o idoso se sente mais saudável quando torna-se ativo profissionalmente ou que esse retorno seja para uma complementação de renda”, concluiu Nabor.

 

Sobre o autor

Comente