Manoel Jr pede relação franca com Cartaxo e avisa: “Para ser vice de faz de contas eu prefiro não ser”

0

Comandando interinamente a Prefeitura de João Pessoa, o vice-prefeito, Manoel Junior (PMDB), afirmou que é necessária uma relação franca com o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) para que haja a manutenção da aliança para as eleições de 2018. Em entrevista ao jornalista Heron Cid, no programa Frente a Frente, da TV Arapuan, o peemedebista afirmou não ser contagiado pelo “fantasma dos vice-prefeitos”.

“Para ser um vice de faz de contas ou uma peça meramente decorativa eu preferia não ser.

A relação (com Luciano Cartaxo) é totalmente diferente e espero que ela se mantenha daqui pra frente”, afirmou, ao avaliar o histórico de divergências entre prefeitos e vices na Capital.

 

Já instalado no Centro Administrativo Municipal (CAM), após rejeitar o distante gabinete na Estação Ciência, Manoel Junior garantiu participação efetiva na rotina administrativa da Capital.

“O prefeito disse que gostaria que eu estivesse no Centro Administrativo, perto dele, interagindo com as Secretarias”, explicou.

Em relação ao seu papel de vice-prefeito, Manoel Junior afirmou conhecer os limites do cargo que ocupa, mas revelou que as críticas à gestão estão sendo absorvidas por Cartaxo. “O prefeito sabe escutar. E o melhor: sabe ouvir críticas”, frisou.

 Vice-prefeito revela motivos para tentar adiar posse

Durante entrevista ao programa Frente a Frente, Manoel Junior afirmou que tentou adiar sua posse como vice-prefeito de João Pessoa para garantir o cumprimento de um acordo que lhe garantiria a relatoria do Orçamento da União este ano.

“Relutei em assumir (a Vice-prefeitura) porque já teria um acerto para eu ser relator do Orçamento deste ano. Eu iria pedir a Câmara para prorrogar o prazo para minha posse como vice-prefeito. A Paraíba ganharia muito com um relator. O que a gente poderia fazer pelo Estado e por João Pessoa era algo inimaginável”, frisou.

Segundo ele, o acordo previa ainda a liberação de uma emenda no valor de R$ 19 milhões para o Hospital Santa Isabel, na Capital.

O peemedebista destacou ainda que pretendia aproveitar na Câmara dos Deputados o momento que o seu partido vivia, ocupando a Presidência da República.

MaisPB

Sobre o autor

Comente