Zé Lacerda, O GENERAL SEM COMANDO! .

0

Zé não muda e seu conceito sobre política continua o mesmo da época dos meus avós.

No último sábado,estela 1 25/3  o PSB realizou na sede da 6ª Gerência de Ensino na cidade de Patos,   o ll ENCONTRO DAS MULHERES SOCIALISTAS: “MULHER,POLÍTICA E SUAS VARIAÇÕES”, evento voltado para as mulheres do partido onde teve como principal organizador o terceiro vice presidente do PSB ESTADUAL e ex-candidato a vice prefeito de Patos, Zé Lacerda, que contou com o auxílio de Luiz Carlos Gabi , gerente da sexta regional de ensino em Patos. Lacerda foi a pessoa responsável pela  articulação dos convidados. Estavam presentes a deputada estadual, Estela Bezerra, Edjane Araújo, Vereadora em Patos, Carlos Cabi, gerente da 6ª regional de educação, Lili, diretora do hospital regional de Patos e demais convidados.

O que se sabe do evento é que mais uma vez Zé Lacerda consegue renovar sua marca de político pé frio, desta vez, ele se superou “deu um tiro no próprio pé” tirando o evento do foco principal e substituindo pelas suas ações desastrosas. Segundo alguns funcionários contratados e comissionados no governo do estado em Patos que pediram sigilo dos nomes para não sofrer retaliação, Zé Lacerda teria mandado um recado em “DÓ MAIOR” que a presença deles no evento era uma CONVOC
AÇÃO e não um CONVITE, e que não esquecesse que era um evento do partido do governador. Zé não consegue liderar, o velho General sem comando não tem admiração da tropa do PSB e muito menos dos contratados e comissionados que na maioria das vezes são açoitados pelas ordens de quem nunca soube liderar e agregar.

Não tem jeito, eu estava prestes a escrever  sobre o que aconteceu no evento, porém, Zé mais uma vez não me deixar descrever e me faz lembrar que o presidente do diretório municipal do PSB,  Vereador mais votado de Patos, Diogo Medeiros, não foi convidado para participar do evento, a esposa dele também ficou de fora, Samira Medeiros que é presidente do conselho de ética do PSB e secretária municipal de políticas publicas da mulher. Alguns juristas se pronunciaram na imprensa local relatando que até o local do evento não era permitido por ser uma rep
artição publica e existir a lei 9.504/97 que proíbe a realização de eventos políticos em repartições públicas.

O General mais uma vez falhou na sua missão e como diz a minha mãe “foi fazer um giro e deu um giral (pode ser um tiro no pé também).
estela 2

Sobre o autor

Comente