Compartilhe

Vereador de Teixeira e mais 11 pessoas são presas suspeitas de fraude licitatória, desvios e lavagem de dinheiro

A Operação da Polícia Federal deflagrada na Paraíba e no Ceará na manhã desta quinta-feira (22) já conta com o cumprimento de doze prisões e vários mandados de busca e apreensão cumpridos. Um dos alvos da operação é vereador na cidade de Teixeira, no Sertão do Estado. Francisco de Assis Ferreira Tavares, conhecido como Assis Catanduba, foi preso de forma preventiva, sem prazo para liberação.

Dois alvos da operação são considerados foragidos, já que não foram localizados para o cumprimento da prisão. Ao todo, foram cumpridos sete mandados de prisão preventiva e sete mandados de prisão temporária. Os detalhes sobre a operação foram dados em entrevista coletiva realizada na cidade de Patos, no Sertão do Estado.

De acordo com Tiago Misael, Procurador da República em Patos, “as prisões temporárias têm o objetivo de melhor instruir as investigações, ao contrário das prisões preventivas, cujo objetivo é interromper a atividade criminosa”.

Foram presos preventivamente Madson Fernandes Lustosa, Marcondes Edson Lustosa Félix, vulgo Duda. Também foi cumprida a prisão do advogado Charles Willames Marques de Morais, ex-secretário de Patos. O ex-candidato a prefeito de Patos, Dineudes Possidônio de Melo, também foi preso. Ainda foram presos o vereador de Teixeira Francisco de Assis Ferreira Tavares, conhecido como Assis Catanduba, e Diângela de Oliveira Nóbrega, assessora de projetos.

Já o empresário de João Pessoa Joilson Gomes da Silva era alvo de u dos mandados de prisão preventiva, mas não foi localizado, sendo considerado foragido.

Os presos de forma temporária foram: Otávio Pires Lacerda Neto, funcionário de uma empresa chamada Melf Construtora; Malena Kelly Rodrigues, também funcionária da empresa Melf Construtora; Ednaldo de Medeiros Nunes, vulgo Naldinho, José de Medeiros Batista, vulgo Caetano; Nayane Moreira do Vale, supostamente dona de empresa fantasma que funciona no Ceará; Josinaldo da Silva Alves, vulgo Biu Bento, de Teixeira; e Sebastião Ferreira Tavares, irmão do Francisco de Assis Tavares.

Dentre os mandados de prisão temporária ainda não foi possível cumprir o destinado a Luís Felipe Diógenes Bezerra, que também é considerado foragido.

CLICKPB

« Voltar

Política

Em Brasília: Prefeito Zé Aldemir e secretárias visitam Ministérios em busca de recursos para Cajazeiras

Política

Veja como ficaram formadas as comissões da ALPB

Política

Sctrans explica trâmites sobre “paredões” no Carnaval e reafirma valor da taxa em apenas R$ 50,00