Compartilhe

R$ 12 MILHÕES DE INDENIZAÇÃO: Dom Aldo e quatro padres são acusados de exploração sexual de adolescentes

A Igreja Católica da Paraíba pagou indenização de R$ 12 milhões após condenação por exploração sexual de crianças e adolescentes. Segundo reportagem exibida na noite deste domingo, 20, no Fantástico, da Rede Globo, o ex-arcebispo metropolitano Dom Aldo Pagotto e um grupo de sacerdotes pagavam para abusar de flanelinhas e coroinhas.

Na reportagem, o procurador do Trabalho Eduardo Varandas falou sobre a investigação a três padres que atuavam na grande João Pessoa, “o que foi apurado foi que havia um grupo de sacerdotes habitual que pagava por sexo a flanelinhas, coroinhas e também a seminaristas, a característica da exploração sexual é a ausência de vontade livre para praticar o ato”, disse Varandas.

Uma das vítimas, que não foi identificada pela reportagem, disse que se envolveu com três padres enquanto era seminarista. Os padres Jaelson Alves de Andrade, Ednaldo Araújo dos Santos e Severino Melo são citados em vários depoimentos de jovens que foram assediados no esquema, que teria o conhecimento e participação do então arcebispo Dom Aldo Pagotto, nos 12 anos em que esteve a frente da arquidiocese.

O ex-seminarista disse ainda que foi assediado pelo próprio Dom Aldo e afirmou, à reportagem, que manteve relações sexuais com ele. Outra testemunha incluiu um quinto sacerdote na lista, um funcionário da Arquidiocese disse que o padre Rui Braga também levava adolescentes para dormir com ele nos aposentos da Igreja.

A investigação teve início com uma carta escrita e entregue a um padre, mas o caso ultrapassou os limites da igreja e tornou-se pública.

O procurador Francisco Sagres, do Ministério Público da Paraíba, disse que o crime prescreveu, na justiça comum, e não foi possível dar seguimento ao processo, que foi arquivado. No entanto, o caso seguiu sendo investigado no Ministério Público do Trabalho, já que havia pagamento aos meninos, que iam de comida e roupas a valores em dinheiro.

Na Justiça do Trabalho, a condenação da Arquidiocese aconteceu em novembro de 2018, o valor da indenização é de R$ 12 milhões, que serão usados em trabalho social para ajudar jovens que foram vítimas de abusos.

Nem Dom Aldo Pagotto, nem o atual arcebispo, Dom Manoel Delson, quiseram se pronunciar sobre o caso.


 

Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba

« Voltar

Política

Em Brasília: Prefeito Zé Aldemir e secretárias visitam Ministérios em busca de recursos para Cajazeiras

Política

Veja como ficaram formadas as comissões da ALPB

Política

Sctrans explica trâmites sobre “paredões” no Carnaval e reafirma valor da taxa em apenas R$ 50,00