Compartilhe

Veneziano lamenta morte de brasileiros por Covid-19, e critica ações de Bolsonaro

Ao participar de mais uma sessão remeta do Senado Federal, o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), lamentou o número de mais de mil mortes causadas pela covid-19 em um único dia, pela primeira vez, no Brasil. Em sintonia com os outros parlamentares, Veneziano cobrou  união dos poderes da República na execução de ações que ajudem no combate à pandemia. Nas últimas 24 horas, foram registradas oficialmente as mortes de 1.179 pessoas vítimas da pandemia. Já são quase 18 mil mortes em todo o país e mais de 270 mil contaminados, de acordo com os registros oficiais.

 Ele expressou  a sua solidariedade famílias brasileiras,  especialmente as mais de 5.838  famílias paraibanas, vítimas da pandemia.

O senador paraibano também endossou as críticas à postura do presidente Jair Bolsonaro, por fazer piadas de cunho político em uma live de redes sociais nesta terça-feira. Para Veneziano, o presidente teve um “gesto desumano”.

— Nos compadecemos, em solidariedade e em pesares, a mais outras 1.179 famílias que agora choram os seus mortos, e, ainda por cima, temos que assistir ao deboche do presidente, que tenta fazer mais um dos seus inaceitáveis gracejos.

Em pronunciamento, também em sessão remota, Veneziano pediu a sanção do  projeto que garante recursos a serem transferidos para as finanças estaduais e municipais (PLP 39/2020) seja sancionado rapidamente pelo Executivo. O senador lembrou que as arrecadações vindas de atividades econômicas diminuíram substancialmente nos últimos dois meses.

— ICMS, FPM, FPE, ISS e outros tributos que dão condições para que as prefeituras e estados possam corresponder às demandas de cada um de nós. Esses recursos, portanto, vão estar nessa recomposição, dividindo R$ 60 bilhões de forma direta aos estados e municípios, e outros R$ 65 bilhões de forma indireta. 

Veneziano explicou que os recursos indiretos correspondem à suspensão de cobranças de dívidas com a União.

O senador também afirmou ter apresentado emendas que não foram acolhidas ao projeto, como a que permitia reajuste no salário de servidores públicos de acordo com a reposição inflacionária do próximo ano.

Em entrevista concedida à Caturité FM, nesta sexta-feira, 22, o senador Veneziano Vital do Rêgo voltou a fazer duras críticas à posicionamento do presidente frente à doença.

Veneziano comentou que o governo Bolsonaro perdeu espaço, frente às lideranças mundiais, sobre a discussão do mundo pós-pandemia, inclusive sobre os estudos que permeiam a criação de uma vacina.

– É uma coisa tão deprimente ter um presidente da república, de um país tão grandioso, que age desta forma. É lamentável chegar numa eleição e ter que fazer escolhas por exclusão, acaba sendo eleita uma pessoa desprovida de compromisso e sensibilidade. O Brasil perdeu espaço na OMS, onde outros países vão discutir o pós-pandemia, justamente pelo comportamento do presidente- disse.

O senador ainda citou a fala de Bolsonaro, quando numa live, sobre o uso da hidroxicloroquina, fez um trocadilho com o nome do remédio e uma marca de refrigerantes paulista.

– Um presidente que trabalha desde início com a ideia de minimizar a pandemia, e desconsiderar os riscos da contaminação, quando nós temos mais de 20 mil famílias que pranteiam os seus mortos, o presidente fica fazendo essa graça, que não tem graça nenhuma, quando ele fala de “Tubaína” ao mesmo tempo que fala de “Cloroquina”- criticou.

PB Agora

« Voltar

Policial

NOMEAÇÃO: Bolsonaro define novo superintendente da Polícia Federal e equipe na Paraíba

Política

João Azevêdo anuncia abertura de mais 30 leitos de UTI na Grande João Pessoa, Campina Grande e Sertão

Política

Estado paga servidores nesta quinta e sexta

Política

‘Live’: João Azevêdo volta a defender isolamento e pede apoio da população

Política

Barroso assume TSE e cobra atenção a ‘milícias digitais’ nas eleições

Política

Recursos de emendas do Senador Veneziano(PSB) chegam a 90% dos municípios paraibanos, só para saúde foram R$ 32,8 milhões

Política

“Meu pai foi cremado na HORA DA MISERICÓRDIA” escreve Dinaldinho em seu twitter

Política

“Dinaldo será cremado e após passar a pandemia família realizará o sepultamento “diz Dinaldinho via twitter