Compartilhe

TJ apreciará inconstitucionalidade de artigo que revoga o aumento de pena no crime de roubo com arma branca

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba acolheu, por unanimidade, a primeira arguição de inconstitucionalidade por vício formal do artigo 4º da Lei nº 13.654/18, que revoga a majorante de aumento de pena ao acusado que fizer uso de arma branca (crime previsto no artigo 157, § 2º, inciso I, do Código Penal). A proposta foi apresentada pelo promotor de Justiça convocado Amadeus Lopes Ferreira, do Ministério Público da Paraíba (MPPB), nos autos da Ação Penal nº 000.706-19.2013.815.0071, em sessão ocorrida no dia 17 de maio. Desta forma, foi suspenso o julgamento de mérito do feito, que foi encaminhado para apreciação do Tribunal Pleno, a quem caberá a declaração, ou não, da inconstitucionalidade.

Na hipótese dos autos em apreço, o réu Luis Fernando de Brito Silva foi acusado de roubo qualificado com emprego de arma branca, fato ocorrido antes da Lei nº 13.654/18, que entrou em vigência desde o dia 24 de abril do corrente ano. O promotor explicou que, com a nova legislação, deixaria de se aplicar ao delito o aumento da pena, retroagindo para desqualificar o crime para ‘roubo simples’, previsto no artigo 157 do Código Penal.

Para o promotor de Justiça, a Lei nº 13.654/2018 deixou de punir, com mais rigor, o agente que praticar roubo com arma branca, ou seja, faca, peixeira, facão, entre outros instrumentos cortantes. Isso implicará na diminuição da pena de todos aqueles que tiveram esta majorante aplicada, a partir do dia em que a referida lei entrou em vigor.

O representante do MPPB esclareceu, ainda, que a alteração legislativa padece de vício formal do projeto de lei que lhe deu origem (PL nº 149/2015), “por ter sido o seu conteúdo modificado pela Comissão de Revisão Legislativa (Corele), órgão responsável apenas para adequar o texto final aos preceitos da técnica legislativa. O projeto foi encaminhado à Câmara dos Deputados, sem que tivesse sido votado pelo corpo de congressistas”, analisou.

Ainda para o promotor, o vício na condução do processo constitui afronta ao Princípio do Devido Processo Legislativo. “Além de total desrespeito aos artigos 47 e 65 da Constituição Federal, os quais dispõem, respectivamente, sobre a necessidade das deliberações de cada Casa Legislativa serem aprovadas pela maioria dos membros e a imprescindibilidade de a aprovação transcorrer em cada Casa Legislativa da República em turno único e com a revisão de outra respectiva casa”, argumentou o promotor.

Na sessão da Câmara Criminal desta terça-feira (22), o julgamento da Apelação Criminal nº 0000.254-11.2015.815.0371 foi suspenso pelo mesmo entendimento, com sobrestamento do feito até apreciação pelo Pleno do incidente de inconstitucionalidade arguido pelo Ministério Público.

Lei nº 13.654, de 23 de abril/2018, – Altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 7 dezembro de 1940 (Código Penal), para dispor sobre os crimes de furto qualificado e de roubo quando envolvam explosivos e do crime de roubo praticado com emprego de arma de fogo ou do qual resulte lesão corporal grave; e altera a Lei nº 7.102, de 20 de junho de 1983, para obrigar instituições que disponibilizem caixas eletrônicos a instalar equipamentos que inutilizem cédulas de moeda corrente.

Art. 4º – Revoga o inciso I do § 2º do art. 157 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 dezembro de 1940 (Código Penal).

Por Gabriela Parente

« Voltar

Saúde

Em diálogo com a Secretaria de saúde, Dr. Érico confirma vinda de equipamentos para o Hospital Regional de Patos

Entretenimento

Em meio uma CRISE DE PANDEMIA o PB CAP (antigo BILHETÃO) usa de má fé com clientes e poderá responder pelo CRIME DE ESTELIONATO

Política

Em entrevista: Prefeito de São José de Piranhas pede serenidade, sabedoria e oração ao povo sertanejo nesse momento de pandemia

Política

ISOLAMENTO SOCIAL OBRIGATÓRIO: Em nota, Governo da Paraíba e MP’s autorizam polícia a fechar estabelecimentos

Saúde

São José de Piranhas divulga locais de vacinação contra gripe para pessoas acima de 60 anos

Política

Prefeito Chico Mendes usa redes sociais para falar sobre ações contra o coronavírus

Política

João Azevêdo suspende expediente presencial nas repartições públicas estaduais a partir desta segunda

Política

Governador apela para que paraibanos fiquem em casa para prevenir Coronavírus